12 destinos a evitar em 2018 de acordo com a CNN

A CNN publicou recentemente uma lista dos 12 destinos que os turistas devem evitar durante as férias em 2018. Apesar dos bons dados que Barcelona registrou em 2016 como cidade turística graças aos 34 milhões de visitantes que teve naquele ano, ela surpreendentemente aparece na lista junto com outros locais como o Taj Mahal, as Ilhas Galápagos ou Veneza. O que levou a CNN a não recomendar a visita a esses lugares?

Barcelona

O portal de notícias americano argumenta que a superlotação é o principal motivo para não visitar Barcelona em 2018, pois tem efeitos devastadores para a cidade e seus habitantes.

Eles também apontam para a fobia turística que se desencadeou em Barcelona entre alguns cidadãos que mostram sua insatisfação com o turismo de massa por meio de grafites e manifestações. Na verdade, eles alertam que os manifestantes foram à praia de Barceloneta em agosto passado para denunciar o comportamento rude dos turistas.

Da mesma forma, a CNN aponta como aumentaram os protestos de Barcelona sobre o aumento do preço do aluguel de apartamentos devido a serviços como o Airbnb, o que torna muito difícil para alguns encontrar um lugar para morar e outros os obrigam a deixar suas casas devido a em os preços muito altos. Eles também mencionam como a Câmara Municipal tentou resolver o problema aprovando uma lei que limita o número de camas para turistas.

Como alternativa à superlotação de Barcelona, ​​propõem-se a visitar Valência em 2018 por ser uma cidade cuja oferta gastronómica e cultural pode competir com a capital catalã mas com uma pausa "menos agitada".

Veneza

Veneza

A superlotação também é a razão pela qual a CNN incluiu Veneza nesta lista. Todos os anos, cerca de 40 milhões de pessoas visitam a cidade. Um fluxo intenso que muitos venezianos temem terá repercussões negativas em monumentos tão emblemáticos da cidade como, por exemplo, a Praça de São Marcos.

De fato, há meses a prefeitura decidiu adotar medidas para controlar o acesso a esta bela praça em 2018 através do uso de semáforos que controlam a entrada do local e estabelecendo um horário de visita para o qual seria necessário fazer reserva. com antecedência.

Este novo regulamento complementa a taxa turística que se aplica à visita a Veneza e que varia consoante a época, a zona em que se encontra o hotel e a sua categoria. Por exemplo, na ilha de Veneza, é cobrado 1 euro por estrela por noite na alta temporada.

O esboço do novo regulamento vem depois que a Unesco deu o alarme sobre a deterioração de Veneza, que é considerada Patrimônio da Humanidade desde 1987.

Dubrovnik

Como resultado do boom de visitantes que a cidade croata experimentou devido à série 'Game of Thrones', as autoridades locais tiveram que estabelecer uma cota de visitas diárias para reduzir a superlotação uma vez que, em agosto de 2016, Dubrovnik recebeu 10.388 turistas em apenas uma dia, o que afetou negativamente os moradores que moram no famoso bairro fortificado e os monumentos. Na verdade, a cidade limitou o número de pessoas que podem escalar as paredes do século 4.000 diariamente para XNUMX.

Mais uma vez, a superlotação é a razão pela qual a CNN não recomenda visitar Dubrovnik em 2018. Em vez disso, propõe Cavtat, uma pitoresca cidade na costa do Adriático que possui ótimas praias para escapar das multidões.

Machu Picchu

Machu Picchu

Com 1,4 milhão de visitas durante 2016 e uma média de 5.000 pessoas por dia, Machu Picchu estava prestes a morrer de sucesso, algo que foi repetido pela CNN. Levando em consideração esses dados, a Unesco incluiu a antiga cidadela na lista dos Sítios Arqueológicos em perigo devido à superlotação de turistas e, para evitar males maiores, o governo peruano teve que tomar medidas para protegê-la.

Alguns deles deveriam estabelecer dois turnos por dia para acessar Machu Picchu e fazê-lo com um guia em grupos de quinze pessoas ao longo da rota marcada. Além disso, você só pode permanecer na cidadela por um período limitado com a compra de um ingresso. Uma mudança notável, considerando que até agora qualquer um podia vagar livremente pelas ruínas e ficar o tempo que quisesse.

Praia de Galápagos

Ilhas Galápagos

Como o que aconteceu com Machu Picchu, as Ilhas Galápagos também foram incluídas na lista do Patrimônio em Perigo devido à superlotação e à falta de medidas concretas para controlá-la por um tempo.

Para preservar um dos mais belos habitats naturais do mundo, o governo equatoriano aprovou uma série de restrições como: apresentação de passagem aérea de volta, reserva de hotel ou carta convite de morador local e cartão de controle de tráfego .

As Ilhas Galápagos é outro daqueles lugares que a CNN não aconselha ir em 2018 e, em vez disso, propõe as Ilhas Ballestas do Peru, na costa do Pacífico, onde também se pode desfrutar da bela paisagem e da fauna nativa.

Antártica, Cinque Terre (Itália), Everest (Nepal), Taj Mahal (Índia), Butão, Santorini (Grécia) ou Ilha de Skye (Escócia), Eles completam a lista oferecida pela CNN atendendo também a questões ambientais ou de superlotação.

Você quer reservar um guia?

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*