Cairo, conhecendo a 'mãe do mundo'

Cairo no verão

Cairo é uma das cidades mais populosas do mundo, com quase 17 milhões de vizinhos. Apelidada de 'a mãe do mundo' e 'a vitoriosa', é a porta de entrada para o país dos faraós e a capital indiscutível do mundo árabe.

Esta cidade excessiva onde o novo e o velho convivem perfeitamente, é uma daquelas cidades que não admite meio-termo e nunca deixa ninguém indiferente. São tantas as maravilhas que os turistas podem ficar maravilhados se não planejarem com antecedência os lugares a visitar.

Por ocasião da próxima inauguração do Grande Museu Egípcio em 2018, percorremos as ruas do Cairo para nos deixar levar pelo mistério e pela magia desta capital do Norte de África.

Cairo Centro

Caminhando pelas ruas do centro da cidade podemos encontrar lojas e belos edifícios coloniais que falam do esplendor anterior à revolução de 1952.

Podemos começar o passeio visitando a Cidadela, uma fortificação islâmica medieval construída na colina Mokkattam. Suas defesas foram levantadas no século 85 para deter os cruzados e por um tempo foi a sede do governo. Muitas das reformas realizadas devem-se a Saladino el Grande, como é o caso da nascente de XNUMX metros de profundidade que hoje se vê.

Posteriormente, os turcos construíram uma mesquita e outros edifícios que atualmente contêm quatro museus: o Museu Militar Egípcio, o Museu da Polícia Egípcia, o Museu do Transporte e o Museu do Palácio Al-Gawhara.

Museu do Cairo

Antes da inauguração do Grande Museu Egípcio em 2018, visitar o Museu Egípcio na Praça Tahrir é uma atividade inevitável. Possui a maior coleção de antiguidades egípcias do planeta com mais de 120.000 peças, embora nem todas sejam expostas por questões de espaço.

Outro lugar muito interessante para se visitar é o bairro cristão do Cairo. Os coptas representam entre 10% e 15% da população egípcia. Pode-se chegar de metrô e descer na estação Mari Girgis. Na saída iremos encontrar as ruínas de uma muralha romana e várias igrejas que datam da Idade XNUMXª à Idade Média. Algumas das mais conhecidas são a Igreja Suspensa, San Sergio, Santa Bárbara ou San Jorge.

Rodeada de igrejas, encontramos a sinagoga Ben Ezra, que mais parece um templo cristão por ser uma antiga paróquia copta. Incapaz de pagar impostos, um judeu rico a comprou e a transformou em uma sinagoga.

Terminamos este percurso religioso no Cairo islâmico, no bairro de El Azhar ou El Ghouri. É uma espécie de museu ao ar livre da cultura muçulmana. Nele podemos encontrar a mesquita Ibn Tulun, do século IX DC, e o museu Gayer-Anderson construído na casa de um antigo comerciante otomano do século XVI.

Junto ao bairro islâmico está o parque El Azhar, construído numa parte da "cidade dos mortos" que tem belas vistas panorâmicas e onde se pode fazer um piquenique às margens de um lago nesta cidade quente onde quase não chove. alguns dias por ano.

Nada melhor do que encerrar esta visita ao centro do Cairo do que passar por duas confeitarias que são uma instituição no coração do Egito: El Abd (25, Tal'at Harb), com doces típicos egípcios, e Groppi (Tal ' na Harb Square), com mais produtos de estilo europeu.

Mais atrações turísticas para ver no Cairo

Pirâmides de Gizé

Complexo das Pirâmides de Gizé

Localizadas a 18 quilômetros do Cairo, no planalto de Gizé, as Pirâmides de Gizé são um dos monumentos mais antigos do mundo. Sua construção começou por volta de 2.500 aC, sendo a maior e mais famosa a de Quéops (140 metros de altura por 230 metros de base). Eles são seguidos pelos de Khafre e Menkaure.

Ao contrário do que muitos pensam, essas pirâmides não foram construídas por escravos, mas por esquadrões de trabalhadores bem organizados e pagos, como várias escavações mostraram.

Na visita ao planalto de Gizé poderá aproveitar para fazer um passeio de camelo, com a vantagem de os preços já estarem fixos e não ser necessário regatear.

Museu Copta

Localizado dentro de uma antiga fortaleza romana na Babilônia, o Museu Copta é uma das atrações turísticas mais interessantes do Cairo, pois exibe arte da era cristã entre 300 e 1000 DC.

O Museu Cóptico foi fundado em 1910 e possui cerca de 16.000 peças expostas em 12 seções diferentes e em ordem cronológica. Entre eles estão tecidos, papiros com textos dos Evangelhos, marfim e madeira entalhada, etc.

Palácio Manial

Ao norte da Ilha de Rodah fica o Palácio Manial, que foi residência do Príncipe Mohamed Ali Tawfiq no início do século XX.

Este palácio mistura os estilos persa, sírio e marroquino, que se refletem nos cinco edifícios que o compõem. O objetivo do príncipe era homenagear as artes islâmicas.

Os jardins do palácio são constituídos por plantas de vários cantos do planeta e muito delicadamente distribuídas no solo.

Mesquita - Madrasa do Sultão Hassan

A mesquita-madrasa do sultão Hassan foi construída entre 1356 e 1363, sendo um dos melhores exemplos do estilo mameluco no Cairo. É considerada a melhor obra de arquitetura do início deste período feita com enormes blocos de pedra.

Ao passar pela entrada, você deve passar por uma passagem que leva a um pátio cercado por paredes imponentes e quatro salas onde o islamismo sunita é ensinado. Outros locais da mesquita-madrasa que merecem uma visita são a sala do mausoléu do sultão e o claustro com chão em mosaico, cujo desenho é espectacular.

Você quer reservar um guia?

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*