O que ver em Lagos, Portugal

Portugal Tem destinos lindos porque misturam história com turismo, uma combinação extremamente atrativa quando se tem tempo livre e dinheiro para gastar nas férias. Um desses destinos é Lagos, cidade da região do Algarve.

É um dos destinos turísticos mais concorridos e populares do país e hoje veremos o que fazer em Lagos.

Lagos

Lagos fica na região do Algarve, no distrito de Faro. Os primeiros seres humanos a se estabelecerem aqui foram os cones, uma aldeia pré-romana que viviam entre o Vale do Guadalquivir e o Cabo San Vicente. Estamos falando de 2 anos aC Obviamente, mais tarde, outros povos chegariam, como os cartagineses, os romanos, os bárbaros, depois os muçulmanos, finalmente os cristãos.

cidade litorânea, foi chave na logística das viagens marítimas portuguesas e por isso mesmo o rei Sebastião a nomeou ciudad em 1573. Lagos era também uma cidade de estaleiros e muitas das caravelas utilizadas pelos portugueses nas suas viagens de comércio e descoberta pelo mundo nasceram aqui. E um fato importante, foi a primeira cidade europeia a ter um mercado de escravos.

meados do século XNUMX foi destruída por um terremoto, o terremoto de Lisboa de 1755 e chegar à frente não era barato. Em meados do século XIX, as primeiras indústrias foram introduzidas em Lagos, pelo que teve um pequeno renascimento após a sua participação nas guerras napoleónicas e na guerra civil portuguesa.

Como em muitos outros lugares da Europa, foi recentemente após o fim da Segunda Guerra Mundial que o turismo começou a vir aqui e descobrir suas belezas a ponto de hoje ser turismo sua principal atividade econômica.

Sim, sim, Lagos também vive da pesca, mas desde a década de 60, o turismo ultrapassou esta atividade tradicional que remonta há muitos séculos. E é que Lagos tem bom clima, boas praias, bela costa, patrimônio histórico e uma marina para 460 barcos., além de poder receber cruzeiros de longa distância.

O que ver em Lagos

Lagos fica nas margens do Rio Bensafrim que desagua no mar. Tem a natureza de um lado e o patrimônio histórico e cultural do outro. Então, vamos começar com seus tesouros naturais e o que você pode fazer.

podemos nomear cinco praias para caminhar, tomar sol e tomar banho de mar. Se estiver de carro, pode saltar de praia em praia à procura da que melhor se adequa ao que temos de fazer, mas estes cinco Eles são os que estão mais próximos da cidade, então esteja você de carro ou não, eles são acessíveis.

Meia Praia é o maior e fica bem na foz do rio. Terá cerca de 5 quilômetros de extensão e possui algumas dunas baixas e areia. Há passarelas para caminhar para não danificar a vegetação, que pode ser frondosa, e se você chegar a pé pode seguir por um caminho que vem do centro da cidade. De carro há um estacionamento.

La Praia da Batata Fica a poucos passos do centro histórico de Lagos, pelo que as pessoas que aqui se hospedam são as que mais frequentam. Assim, se sua vantagem é a proximidade, sua desvantagem é que costuma ter muita gente. O Praia dois estudantes é super conhecido. Possui dois setores que estão conectados por um arco. A segunda praia só pode ser acessada por um buraco na mesma rocha, sempre que houver maré baixa... É o cartão postal mais clássico das praias de Lagos.

Então há o Praia Dona Ana e Praia do Pinhão. Ambos estão ligados por um caminho de 300 metros nas falésias. A Praia Dona Ana tem suas pedras na água, é larga, tem estacionamento para carros e tem prédios próximos, então as pessoas que moram lá sempre escolhem. Por sua vez, a Praia do Pinhao fica no final da Rua José Formosinho e é cercada por belas falésias.

Continuando com as paisagens, a cerca de dois quilómetros e meio do centro de Lagos, encontra-se um belo cabo, o Ponta da Piedade, que e um ótimo lugar para ir ver o pôr do sol E, se não puder, pode dar um passeio a qualquer hora porque vai tirar umas belas fotos do mar, das formações rochosas, do horizonte... E depois há uma série de atividades que pode contratar e que acho que cobrem muitos temas.

Por exemplo, você pode fazer um Safari de jipe ​​no oeste do Algarve, faça provas de vinhos e conheça Benagil, Ferragudo e Carvoeiro, faça um passeio de barco na Ponta da Piedade quando o sol se põe ou faça observação de golfinhos.

Agora, e quanto ao patrimônio cultural, histórico e arquitetônico? O Igreja de San Antonio Fica no centro histórico e embora não diga muito do lado de fora, por dentro é uma festa barroca. Pena que você tem que gravá-lo na retina porque as fotografias não são permitidas. Você verá madeiras finas e policromadas, azulejos azuis e brancos, anjos, madeira dourada... sim, a entrada é paga. Não foi cobrado em plena pandemia mas é possível que a entrada paga já esteja de volta.

Outra igreja é a Igreja de Santa Maria de Lagos, localizado na praça principal da cidade. Foi construído entre o séc. décimo quinto e décimo sexto e embora tenha sido incendiado no século XNUMX e parte de sua versão original tenha sido destruída, ainda é visível. Estou falando da capa, mas seu atrativo está no belo mural que fica atrás do altar e que ilustra uma batalha de anjos.

La Praça Infante Dom Henrique É lindo e muito perto das margens do rio Besanfrim. É uma praça muito aberta onde as pessoas se encontram, passeiam, aproveitam a brisa do mar... A estátua de Dom Henrique ou Enrique o Navegador, é o coração da praça, lembrando que descobriu, por exemplo, a Ilha de Santa Maria em os Açores.

Mencionámos acima que Lagos foi a primeira cidade da Europa a ter um mercado de escravos, e por isso mesmo há um museu quem se lembra. O museu tem dois pisos e conta a história dos escravos que vieram para Lagos para serem comercializados. Estima-se que entre 1444 e uma década tenham passado cerca de 800. O edifício em si também é bonito.

El Armas regimentais Fica na praça Dom Henrique e como o próprio nome indica, já foi um armazém militar. Não está aberta à visitação mas a sua fachada barroca, em amarelo e branco, é muito marcante. Lagos também tem um muro e hoje você pode ver uma seção dele. Fica ao sul da Igreja de Santa María e fica com a Puerta de San Gonzalo, entrada da cidade.

Na realidade não são muralhas medievais, mas romanas, depois condicionada pelos árabes e mais tarde, no século XVI, pelos reis Manuel I, João III e Felipe I. Este troço fica a sul, mas há também mais troços da muralha a oeste do centro histórico, da Rua do Cemitério para a Rua da Porta da Vila. Andando você pode andar a parede inteira e passar por vários parques então é um passeio bem legal.

El Castelo dos Governadores está em ruínas, mas fazia parte da muralha. O terremoto de Lisboa a derrubou, mas você pode ver parte da fachada. Por último é o Fortaleza da Ponta da Bandeira, de frente para o mar e o rio. Foi construído no século XVII para proteger o porto e restaurado até aos dias de hoje abriga exposições relacionadas à chamada Era dos Descobrimentos.

Por fim, além desses lugares específicos, o melhor é caminhar, caminhar, se perder em suas ruas de pedra, ver suas casas coloridas, suas praças que têm restaurantes e bares e claro, passear mercado municipal Abre de segunda a sábado de manhã. Situa-se em frente à Marina e está repleta de bancas de peixe e marisco, fruta e produtos típicos. E no terceiro andar você tem um terraço maravilhoso. O edifício é dos anos 20 do século XX, foi renovado e suas escadas de azulejos são uma obra de arte.

Praias, passeios, vinhos, bebidas espirituosas, pores-do-sol inesquecíveis... tudo isto é Lagos.

Você quer reservar um guia?

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*