A torre de belém

 

Se gosta de arquitectura existem muitos edifícios e estruturas que merecem ser conhecidos pessoalmente. Portugal tem, por exemplo, muitos edifícios valiosos, e entre os mais conhecidos está o chamado Torre de Belém.

Esta torre antiga está na lista de Património Mundial desde 1983. Originalmente tinha funções militares e está em lisboa, capital de Portugal, então se você visitar essa cidade, não deixe de incluí-la no seu tour depois de ler este artigo abrangente sobre o assunto.

A torre de belém

Como dissemos acima, trata-se de uma construção de origem militar localizada no bairro de Santa María de Belém, a parte de Lisboa com extensos jardins e parques públicos e muitos museus. Em seus quase quatro quilômetros quadrados de superfície contém palácios, mosteiros, conventos, igrejas e monumentos que você não pode ignorar.

Torre a construção começou em 1516 quando Portugal era governado por D. Manuel I. Fazia parte de um sistema de defesa mais amplo em que também participavam o Forte de San Sebastián de Caparica e o bastião de Cascais, todos junto ao rio Tejo. Sua função era precisamente defender dos invasores que podem vir pelo leito do rio.

As obras da torre foram conduzidas por um especialista em construções militares defensivas, Francisco de Arruda, arquitecto e escultor pertencente a uma excelente família de construtores, e Diogo de Boitaca, arquitecto e engenheiro. Juntos trabalharam até a torre foi concluído em 1520.

A torre tem um estilo oriental e islâmico embora o estilo manuelino é o que mais o caracteriza. Este estilo é típico do país e desenvolveu-se com o reinado de D. Manuel I de Portugal. Seria, segundo os especialistas, a variação portuguesa do gótico europeu, e com este estilo a Torre de Belém acabaria com as mais tradicionais torres de homenagem, bem medievais.

A torre é linda por fora, toda pedra, porque tem galerias abertas, ameias em forma de escudos, algumas torres de vigia, em estilo mozárabe, cordas esculpidas na fachada e elementos naturalistas entre os quais se destaca a figura de um rinoceronte africano e outros das novas colônias ultramarinas. Vale dizer que o primeiro rinoceronte chegou ao país em 1513, vindo da Índia.

Fachada da Torre de Belém

Dentro da torre tem um estilo gótico claro. Assim que você entrar, existem 16 cânions e o sistema de buracos pelos quais os prisioneiros ou os poços foram lançados. Pode ser visto como composto por dois elementos: a própria torre e o bastião. A torre é quadrangular e com ares mais medievais, tem cinco andares e na parte superior é coroado por um terraço. Uma escada em espiral um tanto estreita liga todos os níveis e cada um tem um nome, de baixo para cima: a Sala do Governador, a Sala do Rei, a Sala da Audiência, a Capela e o Terraço.

La Sala do Governador Tem uma cobertura abobadada de cal e através dela dá-se acesso às torres de vigia. O Salão dos Reis tem lareira decorada, porta para a varanda virada a sul e tecto elíptico. O Tribunal tem vista para o terraço do bastião e tem duas janelas com balaustrada enquanto o Capela Antigamente albergava um oratório com a Cruz de Cristo e o brasão real.

Por fim, no quinto andar encontra-se o terraço de onde se tem uma vista magnífica sobre o rio Tejo e todo o seu estuário e alguns outros edifícios da cidade como o Monumento aos Descobrimentos ou o Mosteiro dos Jerónimos e sua capela.

Ao longo de seus quinhentos anos de história, a torre teve diferentes funções. Os canhões eram de defesa, dezesseis canhões no total, todos nivelados, e no aterro com suas ameias localizava-se a segunda linha de fogo. A verdade é que apesar de sua origem defensiva ao longo de seus quinhentos anos de história, teve mais funções e tem sido, por exemplo, prisão e arsenal. Foi uma prisão entre 1580 e 1640 e havia muitos presos políticos.

A Torre de Belém, a sua construção, está enquadrada pela Época dos Descobrimentos também daqui partiram muitas expedições portuguesas para a América, Índia, Ásia e África. A) Sim, é o símbolo da cidade e algumas das suas esculturas lembram-no disso, por exemplo a de São Vicente, o padroeiro de Lisboa. Ele também tem uma estátua do santo padroeiro da viagem e o rinoceronte serviu de inspiração para Dürer em seu próprio trabalho com o animal.

O rinoceronte veio da Índia como um presente do governador da Índia portuguesa ao rei. Ele pôs os pés no país em 1515 e foi o primeiro rinoceronte na Europa em mais de mil anos. Era muito popular e por isso foi incluído na decoração da torre e é por isso que Dürer também fez sua xilogravura.

A torre tem mais de cinco séculos de história, pelo que neste momento é uma visita obrigatória quando está em Lisboa. Aqui deixamos você informações práticas para a visita:

  • localização: Torre de Belém, 2715 - 311, no litoral, a oeste da cidade.
  • Instruções: você pode pegar o bonde 15 ou ônibus diferentes (27, 28, 29, 43, 49, 51 ou 112. Também o trem, linha Cascáis, saindo em Belém.
  • Calendário: entre outubro e abril, funciona das 10h às 5h30. De maio a setembro, das 10h às 6h30. Fechado todas as segundas-feiras, 1º de janeiro, Domingo de Páscoa, 1º de maio e Natal.
  • Preço: A entrada custa 6 euros por adulto mas se pagar 12 euros tem um bilhete combinado que também permite a visita ao Mosteiro dos Jerónimos. Se pagar 16 euros pode adicionar o palácio da Ajuda. Os maiores de 65 anos pagam a metade e os menores de 12 anos têm entrada gratuita. Se você tem o Cartão Lisboa também é gratuito.
Você quer reservar um guia?

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*